Sábado, 13 de janeiro de 2018, 17h00
Tamanho do texto A- A+


Esportes / 'Aprendizado'

Ex-Corinthians e Palmeiras fala sobre um mês em prisão por dívida de pensão alimentícia

Rogério Fidellis foi preso em dezembro de 2017 na rodovia Castello Branco (SP-280) após participar de um jogo festivo

O ex-lateral de Corinthians e Palmeiras Rogério Fidelis Regis, que foi solto nesta sexta-feira (12) após ficar 30 dias preso em Piraju (SP) por uma dívida de mais de R$ 600 mil em pensão alimentícia, comentou que a prisão serviu como aprendizado.

“Eu me arrependo de não ter feito o pagamento e vou atrás de pagar o quanto antes. Agora é colocar as coisas em ordem e seguir. Isso foi uma lição de vida, principalmente para os jovens atletas. É preciso se cercar de pessoas boas que te orientam porque a carreira é curta e são poucos que chegam ao alto nível. Infelizmente a nossa vida como atleta uma hora chega ao final e a gente não tem condição de arcar com as mesmas coisas. Foi um aprendizado”, ressaltou em entrevista à TV TEM logo que deixou a prisão.

Segundo o ex-jogador, foi difícil ter que passar o Natal e Ano Novo longe dos familiares.

“Ninguém gostaria de passar Natal, Ano Novo longe da família, mais de 300 quilômetros de casa. Daqui pra frente vida nova. Agora, é só agradecer”, diz.

De acordo com a Polícia Civil, o mandado de prisão foi devido a uma a dívida de pensão no valor de R$ 663.101,24, que é referente ao período de dezembro de 2012 a julho de 2016.

Ainda há uma dívida por pensão referente ao período de agosto de 2016 a dezembro de 2017, a qual o mandado de prisão poderá ser expedido nos próximos meses.

Rogério afirma que vai tentar uma renegociação e ressaltou que não vai deixar de pagar.

“Eu vou conversar com os advogados para acertar essa dívida e a outra que tenho até este ano. Hoje, eu pagar 10 salários mínimos de pensão fica complicado para quem não tem a renda que tinha antes é complicado. Tentei fazer acordo e a outra parte não acertou. Mas vou tentar fazer de novo e não vou deixar de cumprir com minha parte”, afirma.

Prisão

Rogério foi preso no dia 14 de dezembro durante uma abordagem de rotina pela rodovia Castello Branco (SP), em Avaré (SP).

Segundo a polícia, o ex-jogador estava com a atual esposa no veículo retornando a São Paulo e acabou sendo parado em frente à base policial.

Durante a abordagem, os policiais constataram que havia um processo contra o ex-atleta na Vara de Família do Fórum de Campinas e que ele estava sendo procurado pela Justiça por uma dívida de pensão alimentícia.

Além disso, constataram que a CNH estava vencida desde 2012 e que o licenciamento do carro também estava vencido desde 2011.

Ainda segundo a polícia, Rogério foi autuado por estar dirigindo com os documentos vencidos e levado para a delegacia por ser considerado procurado.

O carro não chegou a ser apreendido, pois os dois filhos do jogador, de 8 anos e um bebê de nove meses, estavam no veículo e os policiais verificaram que esposa não havia habilitação. Com isso, uma pessoa foi solicitada para buscar a família do ex-atleta.

Carreira

Rogério, de 41 anos, é conhecido pelo lance das pedaladas de Robinho na final do Brasileirão de 2002. Ele e outros ex-jogadores que se destacaram nos anos 80 e 90, como Edílson Capetinha e Careca, participaram na noite de quarta-feira (13) de um jogo festivo de futsal em Ourinhos, cidade próxima de Avaré.

O ex-lateral começou a carreira no União São João de Araras e ganhou projeção no Palmeiras, fazendo parte do elenco que conquistou a Libertadores de 1999.

Em 2000, ele se transferiu para o Corinthians e acabou marcado pelo pênalti cometido em Robinho na final do Campeonato Brasileiro de 2002, a jogada das pedaladas. Também defendeu Sporting-POR, Fluminense, São Caetano, Grêmio Osasco e encerrou a carreira no Barra da Tijuca, em 2013.



AVALIE:
0
0
0 Comentário(s).

COMENTE
Nome:
E-Mail:
Dados opcionais:
Comentário:

FECHAR

Preencha o formulário e seja o primeiro a comentar esta notícia

FECHAR
Mato Grosso Notícias © 2018 - Todos os direitos reservados